Esse texto é continuação da matéria 'Trânsito nosso de cada dia' do Prevenção em Rede 07

 

Reuniões uma vez por semana, à noite, para pensar os sentidos das leis de trânsito e, sobretudo, não esquecer as circunstâncias e atitudes que levam aos acidentes de trânsito. Essa é a fórmula do Vida Segura’, que formou no último dia 05 de março, em Uberlândia (Triângulo Mineiro), sua última turma, após dois meses de atividades focadas na educação de trânsito com motoristas que foram autuados por situações como dirigir sem habilitação, direção perigosa, entrega de veículo para pessoas não habilitadas, entre outras, e que foram encaminhados pelo Juizado Especial Criminal ao projeto promovido pela Central de Acompanhamento de Penas e Medidas Alternativas (Ceapa).

A turma recém formada é a sextaconcluída pelo programa de prevenção no município, mas é a primeira que contou com a presença de jovens e adolescentes do Fica Vivo!. Ao lado dos parceiros habituais do projeto de trânsito na cidade, como a Política Militar e o Centro de Ensino Técnico (CENTEC), cerca de 30 garotos e garotas das oficinas de dança de rua e perna de pau do Centro de Prevenção à Criminalidade (CPC) Morumbi participaram da blitz educativa conduzida pelos 17 formandos do Vida Segura. Ao mesmo tempo em que a polícia organizava a parada dos veículos na blitz, os jovens ajudavam na distribuição de panfletos sobre direção segura, com o entusiasmo típico da idade.
 
Vibração que agradou aos formandos do projeto de trânsito, como no caso do pedreiro Edmar Alventino dos Santos. Para ele, que já tinha ouvido falar sobre o trabalho realizado pela Ceapa no município, a experiência adquirida no Vida Segura despertou a compreensão de que a direção é uma experiência de cuidados: “Tem hora que estamos muito ansiosos ou preocupados no trânsito, mas não podemos pensar só individualmente. É preciso se preocupar com todas as pessoas que estão ali”.
 
Tomadas de consciência como essa do Edmar é que viabilizam a efetiva reciclagem dos motoristas, na opinião da coordenadora pedagógica do CENTEC em Uberlândia, Marli Santos: “Nota-se uma diferença de postura por parte dos participantes do projeto, desde a chegada até o fim dos grupos. Algo que fica visível no comprometimento deles em participar da blitz e contribuir com a educação dos outros motoristas”.
 
De acordo com a instrutora do CENTEC, Marisa Fahd Pimentel de Oliveira, que conduz os encontros do Vida Segura, abordando as questões de trânsito e estimulando a discussão das experiências dos participantes, o êxito do projeto é ressaltado ainda mais pela carência de ações educativas na área: “Seguindo a proposta de aliar sensibilização, educação e conscientização para o trânsito, trabalhamos nos grupos dois tipos de conhecimento: um mais voltado para a psicologia e comportamento na direção, e outro relativo à instrução de trânsito, propriamente dita. E essa junção têm dado certo”, comemora. 

Juventude participativa
Por compreender o trânsito como um espaço de todos e que é importante conscientizar não só os atuais motoristas, mas também os futuros condutores, a equipe técnica da Ceapa em Uberlândia buscou a aproximação de jovens do programa Fica Vivo!, que participaram da blitiz educativa ao lado dos usuários do programa.
 
Segundo a técnica social do Programa Fica Vivo!, Nathália Guimarães Von Kruguer, como preparação dos jovens para a participação na blitz, eles foram orientados sobre o funcionamento da Ceapa e o objetivo da abordagem educativa de que participariam: “Explicamos a lógica do programa e como ele contribui para a prevenção da violência e criminalidade por meio da reflexão e de ações na comunidade. Falamos ainda sobre o papel dos usuários da Ceapa, os formandos do Vida Segura, que estariam na blitz não mais como transgressores, mas como agentes de prevenção”.
 
Para Emerson Pereira da Silva, 15 anos, participante da oficina de dança de rua do CPC Morumbi, a experiência no evento foi especial: “Achei legal, pois assim pudemos conscientizar os motoristas sobre o trânsito e situações como o respeito às faixas de pedestre e a atenção para evitar acidentes. Foi bom também porque pudemos mostrar na rua o que aprendemos no Fica Vivo!” – nos momentos em que ficava fechado o sinal do cruzamento entre as avenidas João Pinheiro e João Naves de Ávila, no Centro (onde foi realizada a blitz), os meninos e meninas demonstravam passos de dança e habilidade com a perna de pau.
 
Foto: Luiz Gonzaga Oliveira / Instituto Elo
Juventude participativa e consciente: jovens do Fica Vivo! levam arte e educação de trânsito para as ruas de Uberlândia
 
O sargento do 17º Batalhão de Polícia Militar de Uberlândia, Fábio Isaque Soares, que coordenou a organização da blitz, acredita que a presença dos jovens é condição muito importante para um trabalho preventivo: “A blitz é uma oportunidade para que esses jovens possam se aproximar da sociedade, de instituições como a Polícia Militar, e contribuir com o projeto, além de absorver o que está sendo ensinado aqui, para que futuramente possam colocar em prática”.
 
Foto: Luiz Gonzaga Oliveira / Instituto Elo
As experiências vividas durante a blitz foram compartilhadas pelos participantes 
 
Como explica a gestora social dos CPCs de Uberlândia, Natália Bernardes, o convite aos jovens da região do Morumbi para participar da blitz está ligado ao fato de que muitos usuários da Ceapa são moradores da região. “Nós realizamos um levantamento e vimos que 30% dos usuários que participaram do grupo de trânsito são moradores da região. Além disso, algumas pesquisas, como o Mapa da Violência [saiba mais], evidenciam o trânsito como um local de vulnerabilidade, onde se tem um número considerável de envolvimento de jovens nos acidentes com vítimas”, destaca a gestora.
 
A diretora do programa Fica Vivo!, Michele Duarte, vê na parceria entre Ceapa e Fica Vivo!, em Uberlândia, a possibilidade de novas articulações entre os programas de prevenção à criminalidade. “O Projeto Vida Segura chama a atenção pela sua proposta de reflexão e articulação entre instituições. Nessa edição, a participação de jovens atendidos pelo Fica Vivo! ressalta a interlocução entre os programas e a transversalidade da temática juventude”, avalia.
 
 
Centros de Prevençao citados na matéria:

CPC Centro - Uberlândia
Av. Getúlio Vargas, 1.533
Centro – Uberlândia/MG
(34) 3210-6448 | 3224-5430

CPC Morumbi
Rua Couvual, 259
Morumbi – Uberlândia/MG
(34) 3212-9188 | 3216-8807
 
 
 
Veja mais notícias relacionadas à atuação do Instituto com o Governo de Minas em Parcerias