Esse texto é continuação da matéria 'Além do tema' do Prevenção em Rede 06

Em 2012, até o mês de novembro, a Central de Acompanhamento de Penas e Medidas Alternativas (Ceapa) realizou um total de 128 grupos reflexivos por meio dos 11 Centros de Prevenção à Criminalidade (CPC) em que atua ao longo de Minas Gerais. Com esses projetos, o programa de prevenção à criminalidade atendeu a cerca de 2.700 usuários, sendo 53 grupos de debate sobre drogas, 50 sobre questões relativas ao trânsito, 19 de gênero e seis abordando o meio ambiente.

Na busca constante por novas parcerias e iniciativas, as equipes técnicas da Ceapa unem seus esforços a instituições públicas contratadas e especializadas nas temáticas dos grupos. É o caso de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde representantes do município e a equipe do programa, lotada no CPC Centro, atuaram em parceria na realização dos grupos de meio ambiente e drogas.
 
De acordo com a técnica Jaqueline Soares, a experiência deste formado tem sido válida para o trabalho do programa na cidade. “O saldo foi muito bom, pois os órgãos municipais puderam participar conosco e perceber a relevância das atividades de medidas alternativas [saiba mais sobre penas e medidas alternativas]. Esse tipo de reconhecimento é fundamental para o estabelecimento de novas parcerias no futuro e é estratégico para a redução dos índices de reentrada no sistema criminal de Justiça, de Betim”, completa.
 
Foto: Arquivo CPC Betim

Usuários participam de atividades durante grupo temático de meio ambiente, em Betim
 
Atendimento aos usuários e qualificação das equipes
Mesmo nos projetos temáticos realizados sem a parceria de instituições públicas contratadas, as equipes da Ceapa obtém apredizados com a realização dos grupos. É o caso do projeto de drogas do CPC São Benedito, em Santa Luzia, também na região metropolitana da capital mineira.
 
O projeto, na opinião da técnica social Luciene Moura, tem contribuído para a qualificação do atendimento realizado pela equipe. “O grupo é um momento rico, em que os usuários ficam mais a vontade para falar sobre a sua relação com as drogas, relatam violências sofridas e tiram dúvidas sobre a legislação e seus direitos. Notamos, muitas vezes, uma grande falta de informação deles em relação a esses pontos e, para nós, o conhecimento de cada demanda específica reforça o conhecimento de tais questões, proporcionando subsídios para realizarmos um atendimento cada vez mais assertivo”, explica.
 
De acordo com o supervisor metodológico da Ceapa, Vladmir Nani, a experiência vivida pelos usuários durante os grupos, assim como a avaliação realizada por eles ao final das atividades, contribuem para o aperfeiçoamento do trabalho do programa. “As discussões que são levadas pelas equipes para os espaços de capacitação são importantes para aprimorarmos o atendimento individual que é realizado nos CPCs, assim como os espaços de grupo realizados pelas equipes. É também um momento de conhecermos mais sobre os fatores de risco e vulnerabilidades a que os usuários estão expostos, e de pensar encaminhamentos e articulações com a rede para melhor atendê-los”.
 
Público em dados
 
 
 
 
Centros de Prevençao citados na matéria:
 
CPC Centro - Betim
Rua Felipe dos Santos, 289
Centro – Betim/MG
(31) 3531-7591| 3591-6899
 
CPC São Benedito
Rua Pirajá, 1081
São Benedito – Santa Luzia/MG
(31) 3637-2220 | 1061
 
 
 
Veja mais notícias relacionadas à atuação do Instituto com o Governo de Minas em Parcerias